Uma lição de vida de mochileiro em Puerto Villamil – 07 de abril de 2013

DSC03986Coisas acontecem na nossa viagem, coisas que estão fora do nosso alcance…

DSC03960

Uma comidinha rápida

Aconteceu um acidente nessa volta comigo. Apareceu um lobo marinho e o guia disse que, se quiséssemos, seria a nossa última oportunidade de nadar com eles. Eu e um equatoriano tiramos a camisa e nos jogamos na água..MASSSS..Eu estava já com o passaporte no bolso da calça.

Vi assim que cai na água e..ferrou udo.. hahaha
Ainda bem que paramos em um quiosque para comer alguma coisa, foi o tempo suficiente pra deixar tudo secando na areia.

Nesse dia aconteceu algo curioso. Como eu não conseguia sacar dinheiro algum em Galápagos (obrigado AMERICAN EXPRESS), estava com a grana contadinha. O passeio incluia  o almoço, mas do nada o mesmo equatoriano que pulou na água comigo pediu um ovo frito. Ele se chama Carlos.

Pois bem. Eu pedi um também, achando que era parte da comida, as era um extra – podia ter um, mas contando que eu tivesse um dólar. E eu não levei NADA do hostal… hahahaha

O ”pana” foi muito ”chévere” e me pagou um ovo.  Agradeci, um pouco constrangido, mas ele disse que uma vez, em Foz do Iguaçu, ele ficou na mesma situação e um viajante alemão pagou um almoço pra ele. Então, é a lei do viajante, amigo… Ele estava pagando comigo a sua dívida e me fez prometer que eu faria o mesmo com outro, algum dia.

São essas coisas que viajantes de hotel nunca entenderão, e eu sabia desse código de ética, mas nunca tinha passado nessa situação.

Vou fazer sim, ”pana” Carlos, onde que que esteja.

VEJA O VIDEO

Ficamos um pouco na prainha em Puerto Villamil, e a vista é revigorante, como vcs podem ver nessas imagens que seguem.

Depois de comer bem, seguimos com um passeio rápido que fizemos para ver  o refúgio dos flamingos (que nessa época do ano não estão nessa região em grande número, mas consegui ver alguns) e, o principal de tudo, ir ver as tartarugas gigantes da ilha – que estarão no próximo post.

Sobre os flamingos, eles ADORAM esse lugar por ser uma combinação única de água salgada com água doce – já que a escavação para restirar material para fazer asfalto foi tão intensa que um acidente ”abriu” uma fenda pro mar, permitindo que a água do Pacífico entrasse em contato com a água de dentro da ilha… Combinação perfeito e inusitada, unindo camarões com plantas de água doce e, com isso, um banquete proas aves. Elas, que infelizmente não estava em grande número, nascem branquinhas e ficam rosadas pelos camarões que comem, alás.

Um detalhe que percebi somente agora é que um grão de areia entrou na câmera e deixou uma marca na lente, que pode ser vista em alguns momentos. Já reparei esse pequeno estrago, mas deixou um certo charme nas fotos.. hahah percebam a partir da metade do vídeo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s